fbpx

Osteopatia

Dores Crônicas e Agudas

Atuação em “Terapias Associadas para o Tratamento de Dores Crônicas e Agudas”, com as seguintes práticas:
• Associação dos recursos da Medicina Chinesa, com práticas milenares como acupuntura, moxaterapia, ventosaterapia, florais de Bach, auriculoterapia, entre outros, visando à remoção da estagnação de energia e sangue, e a expulsão de fatores patógenos responsáveis pela dor.
• Terapia de tratamento manual de caráter holístico, ou seja, visão integral do paciente. A Osteopatia, criada em 1874 pelo médico inglês Dr. A. Still, vem do grego “osteo” (osso) e da palavra grega “pathy”, que significa “sentir”. Difundida em toda Europa em 1911, baseada na anatomia, fisiologia e biomecânica, sua filosofia consiste em que todas as estruturas do corpo estão interligadas. Atua em nível cranial, estrutural e visceral. Em regiões do corpo de pouco movimento (hipomobilidades), que causam dores na coluna, articulações, cefaleias e alteração do ritmo crânio-sacro (responsável pelo movimento do líquor cefalorraquidiano) gerando alterações no sistema nervoso autônomo.
• Terapia de tratamento manual de dores físicas e emocionais através da Microfisioterapia. Criada no início da década de 80, pelos franceses Daniel Grosjean e Patrice Bénini, baseia-se na embriologia e filogênese. Trata dores que o corpo não conseguiu resolver sozinho e fixam-se à nível de memória celular, trazendo sofrimento e dor que se manifestam em forma de doenças físicas, mentais ou somatoemocionais.
• Terapia energética de reequilíbrio e realinhamento de chacras, o Reiki promove saúde física, mental e imunológica, como a imposição de mãos realizando a ligação entre o universo e o paciente.

• Terapia energética e manual, shantala é realizada em bebês, aliviando cólicas, melhorando o sono e a imunidade, trazendo calma e relaxamento.

Principais Afecções:
Terapias associadas no tratamento de dores como: hérnia de disco; doenças inflamatórias (tendinite, bursite, tenossinovite); dores articulares; musculares (tensão, distensão); dores de ATM (articulação temporomandibular); dores no pés e fáscia plantar (esporão e fasceíte); perda da amplitude de movimentos; torcicolos; entorses; desalinhamento postural; cefaleias; síndrome dolorosa miofascial; TPM (tensão pré-menstrual); problemas digestivos (azia, má digestão, refluxo, hérnia de hiato grau 1); disfunções intestinais; doenças autoimunes, como psoríase, lúpus, fibromialgia; alterações de sistema nervoso, como: irritabilidade, ansiedade, estresse, insônia, depressão, fadiga crônica e desvitalização.